A Ryanair viola o Código de Trabalho de forma grosseira - VIATURISTA A Ryanair viola o Código de Trabalho de forma grosseira - VIATURISTA
A Ryanair viola o Código de Trabalho de forma grosseira

A Ryanair viola o Código de Trabalho de forma grosseira

101

A Ryanair está a ser acusada de violar o Código do Trabalho, por ter iniciado um despedimento coletivo na base do Porto, ao mesmo tempo que promove cursos de formação para novos tripulantes.

Segundo o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC),“enquanto a Ryanair inicia um processo de Despedimento Coletivo, realiza em simultâneo cursos para novos tripulantes, violando grosseiramente o Código de Trabalho”, afirmou o sindicato, em comunicado enviado às redações.

O sindicato já está a tentar uma audiência com o ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, para denunciar o que considera ser “uma autêntica perseguição da Low Cost irlandesa aos seus tripulantes de cabine, fazendo tábua rasa dos seus direitos laborais”.

Segundo os representantes dos trabalhadores, a Ryanair retomou, em 01 de dezembro, o processo de despedimento coletivo de tripulantes de cabine na base do Porto, que abrange 23 profissionais, “dando cumprimento às suas ameaças”.

O SNPVAC informa também, que apelou para que a companhia aérea irlandesa, durante a última semana, chegasse a um entendimento entre as partes, mas, “infelizmente, a empresa optou por outro caminho”, reiniciando o processo de despedimento coletivo.

O sindicato acusa a empresa de “falta de transparência” e “repudia esta tomada de posição”, considerando que a companhia podia optar por outra medidas para reduzir custos.

As previsões para a retoma do setor da aviação têm vindo a ser revistas em alta, na sequência do anúncio da passagem à fase de aprovação pelas autoridades competentes da primeira vacina contra a covid-19.

Lusa/ C.S.

Share this:




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.